Escala cultural :: Escritores na Estrada

Gonzalo Cuellar Mansilla

Da esquerda para a direita: Daud, Tarsila, Renata, Ana e Jeanne. Foto: Gonzalo Cuellar Mansilla

No melhor estilo de turnê de banda, cinco escritores tiveram a ideia de cair na estrada juntos e promover uma série de saraus, oficinas e encontros literários por algumas cidades brasileiras. Os integrantes da trupe são: Ana Rüsche, Jeanne Callegari, Rafael Rocha Daud, Renata Corrêa e Tarsila Mercer de Souza (clique nos nomes para saber mais sobre eles).

O grupo providenciou um veículo, apelidado de Van Poesia,  e convocou mais dois passageiros, o documentarista Fred França e o fotógrafo Gonzalo Cuellar.  A missão: registrar a viagem em fotos e vídeos – e dividir a direção. Com vocês, os Escritores na Estrada!

Van Poesia com todos os integrantes

Van Poesia com todos os integrantes

A ideia do projeto veio da Ana, que além de escritora e poeta, é também uma baita agitadora cultural e promove eventos independentes como o festival literário FLAP, entre outros. Entrevistei no início do mês os escritores para saber mais sobre a iniciativa e a Jeanne explicou que as referências vão além da ideia de turnê musical:

“Existem alguns precedentes na literatura, também. Um exemplo foi a viagem realizada pelos modernistas (Mario de Andrade, Tarsila do Amaral e outros) para o interior de Minas, em 1924, com patrocínio de D. Olivia Penteado e acompanhados do poeta francês Blaise Cendrars. A viagem de duas semanas influenciou enormemente o trabalho dos artistas a partir dali. E foi nessa viagem que conheceram em BH um jovem escritor que despontava – Carlos Drummond de Andrade”.

A primeira etapa da aventura já foi concluída. Os escritores passaram por Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre. Em setembro, vão para Belo Horizonte e mais para frente devem passar pelo Rio de Janeiro também. Segundo a Renata, “a vontade é repetir, agora indo para o nordeste. Se der certo, o céu é o limite: centro oeste e norte do Brasil possuem cenas literárias muito interessantes também”.

Toda a empreitada não seria possível se não fosse a campanha de arrecadação de fundos por meio de financiamento coletivo.  Eles arrecadaram R$ 17 mil pelo Catarse e ainda venderam livros, promoveram oficinas e até uma pizzada para conseguir ainda mais apoio. E a viagem foi feita num esquema super simples, com pouquíssima bagagem e se hospedando no esquema couch surfing (clique e leia um texto só sobre essa experiência).

Curto Circuito Criativo no Das Nuvens em Curitiba

Curto Circuito Criativo no Das Nuvens em Curitiba

Além de incentivar a produção literária nas cidades que visitaram (e ainda vão visitar), qual a maior motivação para cair na estrada? Minha hipótese é óbvia: viajar é extremamente inspirador para criar algo novo – se já é para mim que não sou artista, imagine para quem tem o dom com as palavras?

Perguntei a eles por que é essencial viajar, eis as respostas de três dos cinco escritores:

Jeanne: É essencial conseguir abrir espaço para a escrita em nossas vidas. Pra isso acontecer, muitas vezes precisamos fazer uma suspensão do cotidiano, mudar de ares, de territórios. A viagem nos proporciona isso. Além disso, queremos encontrar outros escritores e leitores, estar fisicamente perto. Fazer pontes e conexões e estreitar laços.

Renata: O cotidiano e a repetição do dia a dia conseguem nos deixar num estado automatismo que a viagem cura. Estamos em estado de atenção, e isso contribui para o processo de criar, pois acessamos lugares dentro da gente que antes não estavam disponíveis.

Tarsila: É essencial viajar porque o pensamento é construído e difundido não só em textos, mas em ambientes, em “galeras”, em noites de bate papo, em portas de bar, em encontros inesperados, e escrever se trata de traduzir, remixar, revirar tudo isso que ouvimos e sentimos e propor um passo a mais. Não sei dizer se o essencial é “viajar”, é tão possível viajar tanto e não fazer nada disso, e também é possível ficar no mesmo lugar e fazer isso de alguma forma. Mas viajar para construir pontes com outros pequenos universos facilita esse processo, e faz bem pra todo mundo, eu acho.

Ultra recomendo a leitura de todos os posts e relatos sobre a viagem dos Escritores na Estrada! Eu acompanhei quase em tempo real e foi uma delícia de ler. Para quem quiser entender melhor como são as oficinas, este relato esclarece bastante. Vamos aguardar as próximas turnês, o livro sobre a viagem e, por que não, se inspirar a escrever mais quando viajamos! ❤

Anúncios

Um comentário sobre “Escala cultural :: Escritores na Estrada

  1. Pingback: Escritores na estrada | Panorama Literário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s