Links na bagagem :: leituras da semana #7

Em uma segunda-feira normal já rola aquela dificuldade de sair da cama para ir trabalhar/estudar/viver. Imagine pós-férias então? Pois é, esse é o meu caso hoje. Para dar aquela injeção de ânimo, vou me apegar aos links da semana para dar uma relaxada e começar a pensar nas próximas viagens 🙂

Unseen Cuba: First aerial photographs reveal island’s spetacular beauty – IB Times

unseen-cuba-marius-jovaisa

Circulou por aí esse link com fotos aéreas de Cuba que, como o próprio título diz, revelam a beleza desconhecida do país. Mais que isso: é a primeira vez que um artista recebe autorização do governo cubano a fazer esse tipo de registro. Após dois anos de burocracia, o fotógrafo lituano Marius Jovaiša conseguiu a permissão e levou mais cinco anos para realizar o projeto. Mais que um lugar interessante para visitar, é lindo demais.

Viajar ou sonhar com a casa própria? – A Vida em Posts

fellipe_pri

Meu amigo Fellipe Fernandes quando se mete a escrever sobre viagens, segura! Quando fez textos e fotos da Espanha para o UOL já arrasou, e agora fez um texto super delícia de ler para o site da Priscila Nicolielo, também minha amiga e escritora <3.

Só para dar uma adiantada, aqui vai um trecho que eu adorei: “Sempre repeti para meus amigos que eu prefiro as estrelas do hotel às estrelas do céu e continua sendo verdade. Mas já começo a me deixar levar mais pelo vento do que pelas falsas raízes que vamos afundando nas muitas desculpas que nos damos para não sair de nossa zona de conforto“.

Guia sentimental e prático de Berlim – Glück Project

gluck_berlim

O casal de jornalistas Karin Hueck e Fred Di Giacomo morou um ano em Berlim e criou esse belo projeto, o Glück Project, para descobrir, explicar, estudar o que é a felicidade. Parece meio genérico, ou até complexo demais por outro lado, mas daí surgiram textos ótimos, cheios de entrevistas, reflexões, tudo muito interessante. De volta ao Brasil, eles compartilharam um guia super completo da cidade em que viveram, com dicas práticas e outras mais relacionadas às experiências pessoais – são as melhores. Para favoritar!

Buenos Aires na baixa temporada – Pelo Mundo, da Mari Campos

buenosaires_maricampos

At last, but not the least, a jornalista de viagens Mari Campos fez um bate-volta em Buenos Aires esses dias e, como de praxe, já liberou as dicas no seu blog. Achei interessante porque faz tempo que não falo com ninguém que tenha ido para lá recentemente, sinto saudades e tenho curiosidade para saber como andam as coisas (preços, turismo, agito cultural etc). A Mari Mari conta tudo isso e ainda compartilha umas novidades que descobriu por lá 😉

Como era viajar nos anos 90 – Chicken or Pasta

passagemvarig

Eu adoro uma sessão nostalgia e esse post me fez viajar no tempo! A Lalai Persson destrinchou sua viagem para a Europa feita em 1997 e contou como foi comprar passagens, reservar hospedagem em albergues, usar travellers cheques, mandar postais e tudo o que se tinha direito em um mochilão na era pré-internet. Alguém aí já viajava na época e lembra de mais diferenças? Conta mais! 😉

Memória :: As viagens que fiz com a minha mãe

Hoje é aniversário da minha mãe, dona Ivani, e depois de quebrar a cabeça pensando em algum presente mais original, me veio a ideia: por que não uma retrospectiva das nossas viagens? Sim ou com certeza?

Minha mãe e o Corsa verde que tínhamos em algum canto de Santo Antonio do Pinhal (SP), em 2003. Foto: Débora Costa e Silva

Minha mãe e o Corsa verde que tínhamos em algum canto de Santo Antonio do Pinhal (SP), em 2003. Foto: Débora Costa e Silva

Na verdade, é até meio óbvio pensar nisso. Afinal, ela foi a minha maior incentivadora (e financiadora) para viajar. O resto da família também me levou para passear bastante, mas como sempre fomos só nós duas (eu e minha mãe) na mesma casa e sempre nos demos super bem, foi com ela que viajei mais. Não sei bem qual foi minha primeira viagem. Com certeza foi para alguma praia. Sei que logo aos 3 anos de idade já pisei na Europa – super phyna 😛

Eu e minha mãe nos divertindo em Portugal. Foto: Arquivo pessoal

Eu e minha mãe nos divertindo em Sintra, em Portugal. Foto: Arquivo pessoal

É que meu pai foi trabalhar em Portugal por um tempo e lá fomos nós visitá-lo, em 1989. Uma pena que eu quase não lembro de nada por ter ido tão pequena. A outra grande viagem foi para Maceió, capital de Alagoas, onde vivem alguns parentes da minha mãe. Comemorei meus cinco aninhos lá, em 1991 – aliás, fazer aniversário em janeiro dá nisso, vira e mexe comemorava longe de casa.

Visitando a cabine do avião, na ida para Maceió (AL). Foto: Ivani Pavoski

Visitando a cabine do avião, na ida para Maceió (AL). Foto: Ivani Pavoski

Outra viagem de férias foi para Águas de Lindóia, no interior de São Paulo, no mesmo ano, em julho. Dessa vez fomos eu, minha mãe, vó Lina, vô e tia Marisa. Foi apenas a primeira de muuuuuitas idas a Águas de Lindóia.

Eu e minha mãe (animadona, como pode-se ver) posando no cavalo. Foto: Arquivo pessoal

Eu e minha mãe (animadona, como pode-se ver) posando no cavalo. Foto: Arquivo pessoal

Não me pergunte porque íamos tanto para lá rs, acho que não tinha nenhum motivo especial, só gostávamos e pronto. Era bem legal, eu sempre fazia amizade com o pessoal do hotel, curtia as brincadeiras dos monitores, andava à cavalo, curtia a piscina, pra mim tava bom demais!

Aula de hidroginástica na piscina do hotel: quem nunca? Essa foto foi no Hotel Fazenda M1, em Águas de Lindóia. Foto: Arquivo pessoal

Aula de hidroginástica na piscina do hotel: quem nunca? Essa foto foi no Hotel Fazenda M1, em Águas de Lindóia. Foto: Arquivo pessoal

Mas a primeira grande viagem que fiz foi para Bariloche, na Argentina, em 1995. Minha mãe era foda: economizou horrores pra me dar essa viagem, só para realizar o sonho de conhecer a neve. Foi fantástico, aprendi a esquiar e tudo! Chegando lá soubemos que havia 10 anos que não nevava tanto – demos muita sorte.

Eu e minha mãe no Parque Nacional Arrayane, em Bariloche. Foto: Arquivo pessoal

Eu e minha mãe no Parque Nacional Arrayane, em Bariloche. Foto: Arquivo pessoal

Era sempre nas férias de julho que dava para viajar por causa da escola, mas vira e mexe íamos para a praia fazer um bate-volta ou conhecer alguns lugares no interior de São Paulo. Uns anos depois de Bariloche, fizemos outra viagem mais tchans, para o Rio Quente, em Goiás. Fomos de ônibus fretado, com direito a guia engraçadinho animando a galera da excursão rs.

Piscinas do Hot Park, no Rio Quente, nos primórdios, em 1997. Foto: Ivani Pavoski

Piscinas do Hot Park, no Rio Quente, nos primórdios, em 1997. Foto: Ivani Pavoski

Em 2001, já adolescente, com 15 anos, fui com minha mãe e sua amiga Cícera para Monte Verde (MG). Foi uma delícia, curtimos muito o hotel, o friozinho, os queijos, os barzinhos, as lojinhas de artesanato etc.

queijo_monteverde

Fazendo graça com o moço do queijo em Monte Verde (MG). Foto: Arquivo pessoal

Até para Porto Seguro (BA) eu fui com a minha mãe, no mesmo ano! Parece não combinar muito o destino, típico de viagens de formatura, com família. Mas foi bem legal, afinal as praias são lindas e tem bastante coisa histórica para conhecer.

Nós duas no passeio de Catamarã em Porto Seguro (BA). Foto: Arquivo pessoal

Nós duas no passeio de Catamarã em Porto Seguro (BA). Foto: Arquivo pessoal

Dois anos depois, fomos para o clássico dos clássicos: Campos do Jordão (SP). Só que minha mãe armou um esquema: nos hospedamos em Santo Antonio do Pinhal, a 30 km. Ou seja, pagamos mais barato (em julho você imagina os preços…) e de quebra conhecemos um lugar novo (que gostei bem mais, até).

Nós duas no Espaço Veja em Campos do Jordão, no auge da temporada de inverno de 2003. Foto: Arquivo pessoal

Daí em diante quase não viajamos mais. Comecei a faculdade e passei a viajar bem mais com os amigos e o namorado – faz parte né? Mas depois de um longo e tenebroso inverno (oito anos para ser exata!), viajamos juntas novamente. Com um pouquinho mais de verba, pois eu já trabalhava, fomos para Buenos Aires.

Jantar + show de tango em Buenos Aires, em 2011. Foto: Arquivo pessoal

Jantar + show de tango em Buenos Aires, em 2011. Foto: Arquivo pessoal

Pegamos o embalo e no ano seguinte fomos viajar juntas novamente e foi uma delícia: o destino era o Rio Grande do Norte e por lá conhecemos São Miguel do Gostoso, praias próximas dali como Tourinhos e Galinhos, a capital Natal e a Praia do Pipa. De lá, partimos para o Rio de Janeiro e depois para Miguel Pereira, no interior do estado.

Nós duas no bugue durante o passeio pelas praias próximas a São Miguel do Gostoso (RN). Foto: Arquivo pessoal

Nós duas no bugue durante o passeio pelas praias próximas a São Miguel do Gostoso (RN). Foto: Arquivo pessoal

O legal é que com o passar do tempo, nosso companheirismo ficou ainda maior e aproveitamos bem mais o tempo juntas. Sem contar o fato de que eu cresci e não sou mais nem uma criança chata, nem uma adolescente mal humorada rs, acho que ajuda né mãe? Rs Tem gente que viaja bem mais com a família quando é pequeno; tem outros que já conheceram a Europa e a Disney logo cedo; uns que só iam para a praia ou para o sítio, enfim, cada um tem sua história. E eu tenho muito orgulho da minha e fico feliz de lembrar de cada lugarzinho que conheci ao lado da minha mãe. Entre as memórias mais queridas que tenho, uma delas é estar no carro com ela dirigindo pela estrada, vento na cara, Madonna cantando “Holiday” no toca fitas e aquela sensação de liberdade batendo forte. Beijos, mãe, brigada! ❤